Imprimir Partilhar

Vir a Banhos 2015

Recriação de uma Praia do início do séc. XX
5 de julho | 15:30h | Praia das Sereias – Espinho


Se sofre de raquitismo, escrofulose, reumatismo, dores musculares ou falta de apetite… porque não Vir a Banhos?

Reconhecendo a importância fundamental, em termos simbólicos e pedagógicos, de relembrar todo um conjunto de práticas associadas ao "ir a banhos”, a Câmara Municipal de Espinho organiza bianualmente, uma recriação de uma praia do início do séc. XX.

No ‘Vir a Banhos’ são encenados os diferentes modos de estar na praia em que participam dezenas de personagens que, a par com os banhistas, vestidos a preceito, frequentavam as praias de então: vendedores de água, tremoços, doces, vira-ventos; fotógrafos à la minuta; as tão habituais companhias de teatro de robertos, e contorcionistas. Recriam-se também divertidos jogos com que as pessoas ocupavam o tempo, muitos dos quais chegaram aos nossos dias: cabra-cega, salto ao eixo, as tétulas (jogo com pedrinhas), o prego, castelos de areia e lançamentos de papagaios de papel. Os fidalgos, nome por que eram conhecidos os veraneantes que pertenciam a uma burguesia endinheirada, dedicavam-se a actividades mais recatadas e por isso no ‘Vir a Banhos’ podemos vê-los sentados em amena conversa, a passear, ler ou até a pintar. Mesmo na hora do banho, onde se cumprem as prescrições médicas, as personagens se distinguem: uns, em grande alarido, levantam as saias ou arregaçam as calças, outros, vestidos a preceito, entregam-se nas mãos do rigoroso banheiro que lhes dará tantos mergulhos quantos os recomendados pelos senhores doutores, que bem conheciam os benefícios terapêuticos dos banhos de mar.

Esta recriação realiza-se na Praia das Sereias, e conta com a participação de mais de uma centena de figurantes de várias Associações do Concelho: Associação Espinho Vida, Classe de Ginástica Rítmica de Competição da Associação Académica de Espinho, Rancho Folclórico Santiago de Silvalde, Rancho Folclórico Nª Srª dos Altos Céus, Rancho Regional Recordar é Viver, Teatro Popular de Espinho – Cooperativa Nascente.

Ler mais