Cultura
Imprimir Partilhar

FEST com cinema Drive-in

Festival de Cinema, que habitualmente decorre em junho, foi adiado para agosto e complementará a competição internacional com sessões ‘drive-in’


A direção do festival anunciou hoje, 3 de junho, que a 16.ª edição do evento está marcada de 02 a 09 de agosto, mantendo-se fiel à "missão de dar a conhecer algum do melhor cinema emergente mundial".

O FEST, que tem a sua origem em Espinho arrancará com a nova edição na sua cidade, com a programação principal a decorrer nesta, mas a organização informa que este ano haverá sessões a decorrer também no Porto e em Lisboa, numa mudança com que "o FEST pretende reforçar o seu compromisso para com a sala de cinema, enquanto espaço primordial para a mostra de filmes”.

Para que o Festival decorra, irão ser utilizados a sala do Centro Multimeios de Espinho e um Cinema Drive-In a  instalar temporariamente na cidade– no que se refere a um espaço ao ar livre em que os filmes poderão ser apreciados a partir do carro dos espectadores, com as regras de higienização, distanciamento social e segurança adequadas.

A edição de 2020 mantém o FEST - Pitching Forum, em formato streaming, onde "novos cineastas possam apresentar os seus projetos a produtores, financiadores, gestores de fundos e investidores de topo, com vista à obtenção de apoios e financiamento”.

Contudo os programas  Training Ground, o Director’s Hub e as Industry Meetings  ficaram adiados para o próximo ano, uma vez que não estão reunidas as condições necessárias para a sua realização e em alternativa, "ao longo do ano e em formato ‘online'” serão organizadas várias conversas, entrevistas e debates que possam manter abertos os espaços de discussão e partilha com nomes consagrados da indústria e, com isso, "alimentar a criação de uma rede colaborativa entre os diversos profissionais do sector”.

Quanto à oferta concreta da programação de 2020, só será divulgada dentro de algumas semanas, mas o FEST diz que mantém a aposta no "novo cinema mundial”, numa altura particularmente difícil devido à nova crise global."
Ler mais